Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

05 agosto 2011

Os cães do Laboratório

Na Alemanha, de um modo geral, respeitam-se mais os animais, como seres vivos que dividem o planeta connosco. Os cães, por exemplo, estão em todo o lado, nas férias, com os donos, quer seja no campo, ou na praia, são bem-vindos na maior parte dos hotéis. Ninguém acha estranho se eu entrar com a minha cadela no autocarro, no comboio, em lojas onde não haja produtos alimentares expostos, ou até, no restaurante. Claro que também há casos de abandono e maus tratos. E há algo de que normalmente não se fala, mas que, por isso, não deixa de existir: cães usados em laboratórios de experiências.

O jornal local do "concelho" (Landkreis) de Stade, onde vivo, publicou uma reportagem sobre uma senhora que adoptou três cadelas beagle oriundas de um laboratório. Nas suas palavras, muita gente hesita em dar este passo, na crença de que os animais têm traumas irreparáveis ou tenham sido infectados por doenças susceptíveis de se transmitirem aos humanos. Na verdade, a maior parte deles é usada para testar rações ou desparasitantes.

De qualquer maneira, é preciso ter paciência e tempo para lhes dar uma boa educação, pois, embora já sejam adultos, ainda não aprenderam coisas básicas, como não fazer as necessidades dentro de casa, ou andar com trela. Mas a senhora está encantada com o poder de adaptação, a vontade de aprender e a fidelidade das cadelas que levou para casa.

Através delas, a senhora travou amizade com um casal que também adoptou um desses animais. Encontram-se todas as semanas, num campo de treino, onde os cães, além de serem educados, têm oportunidade de conviverem uns com os outros.



Ao deparar com a boa disposição das duas senhoras na fotografia, uma de 64, outra de 74 anos, atingiu-me um outro pensamento. Elas são felizes com os seus animais e, por sua vez, estes encontraram um lar, onde são amados. Numa altura em que se fala tanto do isolamento dos idosos, não será esta uma boa ideia para dar um novo sentido à própria vida, ajudando inocentes?

Dá que pensar, gente!

Ainda para mais, quando se lêem coisas destas:

Um estudo realizado pela Associação de Psicologia dos Estados Unidos mostrou que os animais de estimação podem contribuir para melhorar a condição emocional das pessoas. Os resultados mostraram que os participantes que tinham animais de estimação, como cão e gato, possuíam maior qualidade de vida, maior equilíbrio emocional e maior capacidade de se relacionar com outros, quando comparados com os que não tinham animais.

2 comentários:

Teresa disse...

Veja este filme, Cristina. Fez-me chorar baba e ranho. De alegria, graças a Deus.

http://www.youtube.com/watch?v=zLZMxRP_F5w

Cristina Torrão disse...

Meu Deus, Teresa, isto arrasou-me. Um deles nem sabia andar...

Mas é bonito, sim :)