Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

08 agosto 2011

Porque vim ao mundo?



Os jornalistas alemães Antje Starost e Hans Helmut Grotjahn fizeram um filme-documentário à volta do tema: "Porque vim ao mundo" (Warum ich auf der Welt bin). Uma pergunta que todos nós nos fazemos, desta vez, respondida por crianças. Os dois acompanharam sete crianças de países diferentes durante vários meses, filmaram-nas em vários momentos da sua vida e ocuparam-se do tema. Interessantes são as respostas dadas pelos petizes.

O alemão Jonathan, de dez anos, andando pela Berlim gelada do Inverno, sentencia: "O ser humano é, ao mesmo tempo, criação e ameaça. Ele pode causar a destruição da Terra, ou fazer dela um mundo melhor para se viver."

Basile, um parisiense de nove anos, não tem dúvidas: "Eu vim ao mundo porque a mamã e o papá encontraram a felicidade."

Chrysanti, uma menina de sete anos, que vive na Alemanha, mas cuja família é originária de Creta, diz que não tem pressa de crescer. Na sua ideia, o coração é uma bateria com duração de, mais ou menos, 50 anos. "Mas, se nos alimentarmos bem e vivermos de maneira saudável, ela pode aguentar mais, até cem anos."

Vanessa, uma equatoriana de 11 anos, pertencente à tribo índia dos Otavalena, sente-se marginalizada pela sua origem e pensa muito sobre isso. Na escola, fazem, muitas vezes, pouco dela, por ela usar as vestes tradicionais da sua tribo. "Não entendo o racismo", diz ela, quando considera que muitos dos meninos que troçam dela têm, eles próprios, sangue índio, pois são filhos de casais mistos.

As crianças dão-nos lições muito importantes, só temos de reservar tempo para as ouvir.

O documentário pode ser alugado pelas escolas alemãs. Aqui, pode ver um trailer com legendas em inglês e aqui uma sinopse em língua castelhana.

2 comentários:

antonio ganhão disse...

Pois as crianças são muito metediças nos assuntos dos adultos... que sabem elas? ;)

Cristina Torrão disse...

Saber, não sabem, claro que lhes falta conhecimento e experiência de vida. Mas isso também pode ser uma vantagem, no que respeita a certas questões. Às vezes, as melhores soluções e respostas são aquelas vindas de alguém livre de convenções e preconceitos.

As crianças precisam de ser orientadas e ensinadas. Por outro lado, devem ser levadas a sério, as suas sugestões podem ser válidas e, nesse caso, talvez postas em prática. Dizendo de outro modo: não devemos rejeitar tudo o que sai da boca de uma criança, às vezes, podemos aprender com ela.