Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

11 agosto 2012

Naquele Tempo (6)


"Apesar da quantidade de privilégios de que D. Dinis a dotou (Universidade) e de vários soberanos lhe terem aumentado os rendimentos, nomeadamente em 1345, 1411 e 1474, é preciso esperar pelo princípio do século XVI para que as estruturas universitárias pareçam adquirir uma certa solidez (...) Nem do ponto de vista social, nem do ponto de vista cultural, se pode descortinar qualquer papel de relevo tomado pela Universidade, como instituição de cultura na vida portuguesa e muito menos na vida internacional.
Com a documentação que possuímos (...) não é fácil explicar este fenómeno, que requereria uma análise muito detalhada. As circunstâncias da época não favoreciam o seu desenvolvimento, mas não bastam, só por si, para responder à questão. Com efeito, a comparação com a maioria das universidades europeias, que também tiveram de enfrentar a grave crise da época, não pode deixar de acentuar esta impressão."

(Página 212, A universidade portuguesa e as universidades europeias)