Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

14 dezembro 2012

Largueza (volume II)


Completei a leitura desta extensa obra de António Luíz Pacheco. E acabo por a considerar uma grande obra, não só pelo tamanho. Mesmo custando a aceitar certas paixões do autor (a caça por desporto, por exemplo), achando que ele dá pouca profundidade às suas personagens e que limita as mulheres a acompanhantes dos homens (embora lhe gabe certas qualidades), aprende-se imenso neste romance, situado no século XIX. O protagonista, um ribatejano, cumpre serviço militar na Índia, passa por Angola e acaba por emigrar para os Estados Unidos, o assunto deste segundo volume.

Foi interessante aprender sobre o contributo dos emigrantes portugueses para a formação da nação americana. O livro está muito bem pesquisado, dou os meus parabéns pelo trabalho do autor, nota-se que o fez com grande paixão. No final, há uma bibliografia para quem quiser aprofundar este assunto.

Este segundo volume é mais um romance de aventuras do que o primeiro. O cenário, o oeste americano, presta-se a isso. Fez-me lembrar os bons westerns de antigamente (ou filmes de cowboys, como lhes chamávamos), mas também há um ar de Danças com Lobos, na sua maneira de encarar os índios. E tem a vantagem de ser um western com protagonistas portugueses, que até travam conhecimento com uma figura lendária: Billy the Kid.

Nota: a imagem apresentada corresponde ao primeiro volume, mas a capa do segundo é igual.

Sem comentários: