Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

27 janeiro 2013

Revolução


A notícia da morte do major-general Jaime Neves apanha-me numa altura em que me ocupo intensamente com o 25 de Abril. É verdade. Fiz uma pausa nas minhas andanças medievais, decidida a escrever algo sobre a Revolução dos Cravos.

O episódio tem-me fascinado e mistura-se com as minhas próprias recordações de infância. E é engraçado constatar que, ao contrário da maioria da população portuguesa, que jubilou com a revolução, eu vivia num meio em que os novos tempos demoraram a chegar. A minha infância salazarista só terminou depois do 11 de Março de 1975. A minha família teve alguma dificuldade em lidar com a revolução e só uma mudança de casa e de escola me lançou num mundo completamente novo, em pleno Verão Quente, o Verão em que completei dez anos.

Mas não quero revelar demasiado sobre o "livro" que começa a surgir na minha cabeça. Hoje, queria apenas dizer que, contaminada com filmes como A Hora da Liberdade (de que falei aqui) e Capitães de Abril, em que os heróis da revolução nos surgem tão jovens, foi triste ler sobre a morte de Jaime Neves.

E eu que achava que já era castigo suficiente tomar consciência de que Salgueiro Maia está morto há mais de vinte anos!


Aproveito para agradecer a todos aqueles que fizeram o 25 de Abril, com Otelo Saraiva de Carvalho à cabeça! Todos nós, nascidos antes e depois do 25 de Abril, mesmo os portugueses que ainda estão por nascer, devem muito a estes homens. Mesmo estando Portugal a passar por uma fase tão difícil, aconteça o que acontecer, pertencer ao país onde se deu a Revolução dos Cravos é motivo de orgulho!

3 comentários:

fallorca disse...

Gabo-te a sinceridade e isenção.
Bj

Céus de Jade disse...

Homens que marcaram uma época que hoje se esbate no tempo e temos de voltar a reerguer. Vão-se aqueles que ainda sentem o orgulho pela pátria e que ainda faziam a diferença. Amiga um imenso beijinho e muito obrigado por tudo. Boa semana.

Cristina Torrão disse...

Muito obrigada, fallorca :)
Beijinho

Boa semana, Céus de Jade, e obrigada.