Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

28 fevereiro 2013

Naquele Tempo (15)


(...) os árabes estabeleceram-se sobretudo nas antigas províncias romanas da Bética, da Tarraconense e da Lusitânia. Distribuíram destacamentos de tropas berberes na Galécia e na Lusitânia do Norte, mas aqui a ocupação foi efémera. Em 743 os Berberes revoltaram-se contra o vali da Hispânia e refluíram para o Sul. O Norte do Douro ficou assim numa situação de ausência de um poder superior, visto que o reino das Astúrias, fundado em 720, dominava apenas uma pequena parte da região montanhosa setentrional cujo núcleo central nem sequer tinha sido efectivamente ocupado pelos Romanos nem pelos Visigodos. A expansão do reino das Astúrias a norte do Douro foi lenta, e desencadeou resistências da parte das populações cristãs locais, sobretudo na Galécia; só chegou ao Douro no reinado de Afonso III, em 868.
Discutiu-se muito sobre as condições em que ficou a região a norte do Douro durante o período de 743 a 868, ou seja, até ao estabelecimento de condes delegados de Afonso III na Galiza, Leão e Castela.

(...) a maioria dos historiadores acreditou no abandono completo e até na desertificação de todo o vale do Douro, como meio estratégico de defesa contra as incursões islâmicas. Sánchez-Albornoz fez, até, do despoblamiento o ponto fulcral da sua interpretação da história medieval espanhola. Sabe-se hoje que exagerou excessivamente a extensão e o grau do fenómeno. No vale do Douro, sobretudo no seu curso português, mas também na área leonesa e na Meseta castelhana, permaneceram várias cidades e muitas povoações. Tudo leva a crer que foi precisamente aí que nasceram os concelhos medievais, a mais típica organização local da Idade Média ibérica.

Páginas 354/355 - A nobreza e os cavaleiros-vilãos na Península Ibérica (séculos X a XIV)

2 comentários:

Olinda Melo disse...


Um espaço a que muitos historiadores chamam de 'Ermamento'...

Bj

Olinda

Cristina Torrão disse...

Mas é interessante saber que aquilo em que se acreditou durante algum tempo talvez não corresponda à verdade.

Obrigada pela visita!

Bj