Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

23 março 2013

Adolescência

Caio nas armadilhas
que pretendo
evitar.
Anulo a energia,
a criatividade,
porque mas roubam.
Simulo,
finjo
e odeio-me por isso.
Castigo-me,
entregando-me às pessoas erradas.
Masoquismo?
Antes ignorância,
impotência,
solidão.
Fujo de mim mesma,
sem sair do sítio.

Recordações são
aquilo que fomos,
aquilo que somos.

Poema incluído na V Antologia de Poetas Lusófonos







2 comentários:

Ana Lemos disse...

Muito bonito :)
O dia da Poesia em Leiria correu bem? Espero que sim e compossíveis contatos ;)
Beijinhos

Cristina Torrão disse...

Olá Ana,
infelizmente, não pude estar lá. Isto de morar no estrangeiro tem destas desvantagens.
Beijinhos