Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

02 julho 2013

Educadores das massas




No dia 20 de Junho, em Lisboa, oito editores estiveram à conversa na Fundação José Saramago, numa mesa moderada pela jornalista Sara Figueiredo Costa. Discutiram o tema «Edição: passado, presente, que futuro?», não só no cenário português, já que também a Itália e a Espanha estiveram representadas.

O Blogtailors fez uma pequena reportagem do evento e fiquei a saber, por exemplo, que a indústria do livro tem hoje uma faturação mais elevada do que a indústria automóvel e representa a maior fatia das indústrias culturais (350 milhões de euros por ano). Um membro do público lembrou mesmo que fatura mais do que a rádio e a televisão portuguesas em conjunto.

Mas houve algo que me chamou particularmente a atenção: Pilar Reyes, editora da Alfaguara em Espanha, acha que êxitos como As Cinquenta Sombras de Grey ou Harry Potter são fenómenos que não podem ser repetidos.

Não podem? Admira-me que uma editora experiente diga uma coisa destas, sobretudo, na era da publicação (e auto publicação) digital. É claro que as editoras devem primar pela qualidade. Por outro lado, os seus responsáveis não devem ser arrogantes ao ponto de se considerarem seres superiores, com a missão divina de educar as massas. Podem esforçar-se por mostrar ao grande público o que, na sua opinião, é literatura de qualidade. Mas nunca conseguirão condicionar o mercado editorial de tal modo que lhes permita evitar que determinados livros sejam publicados, ou se tornem sucessos de vendas. Só recorrendo à censura!

Ninguém gostará que uma editora, por mais competente que seja, lhe vá ditar aquilo que deve, ou não, ler. Pode ser aberto às suas sugestões, mas tem o direito de as recusar. Há que preservar (e saber lidar com) a liberdade de expressão, com todas as vantagens e desvantagens que ela acarreta!


2 comentários:

Vespinha disse...

Que pena esta conferencia ter-me passado ao lado...

Cristina Torrão disse...

Também gostaria muito de ter assistido, Vespinha.