Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

28 julho 2013

Escritor

«Já escrevia nessa altura, versos, ninharias. Mas ia ser o maior escritor do mundo, isso era certo. Na minha opinião sou, claro, não vale a pena escrever se não se é o maior escritor do mundo. Infância, ainda sinto o teu mistério, as descobertas diárias, o teu murmúrio no meu sangue».

António Lobo Antunes (da crónica publidada na Visão nº 1057 - 06-06-2013)


2 comentários:

Manuel Cardoso disse...

Olá Cristina
passei uns dias sem cá vir a agora deparo-me com esta preciosidade. O ALA será de signo Carneiro? É que todo este convencimento....
Agora a sério: ele tem o direito de ser convencido e de se achar o melhor. Há pessoas que são vaidosas; outras são mesmo boas! :)

Cristina Torrão disse...

Eu também acho que ele atingiu esse estatuto que lhe permite "gabar-se" e acho que devíamos ter menos preconceitos quanto a isso, quando se justifica. Mas também gostei da última frase (deste excerto) sobre a infância. Acredito que somos mais felizes se mantivermos esse espírito de "descobertas diárias"...

Gostei muito de te ver por aqui, Manuel, beijinhos :)