Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

04 janeiro 2014

História da Vida Privada em Portugal - A Idade Média (6)



A Igreja dispunha assim de capacidade para intervir no fazer ou desfazer de alianças estabelecidas por via do casamento, tendo uma palavra decisiva na prossecução das estratégias familiares da nobreza. E se é verdade que podia anular matrimónios sobre os quais recaíssem impedimentos de parentesco ou outros (a loucura de um dos cônjuges, por exemplo), também não é menos verdade que o papa possuía a faculdade de conceder dispensas àqueles cujo parentesco, à partida, os impedisse de casar.

A doutrina canónica e a acção dos clérigos entraram muitas vezes em choque com as tradições e as práticas da nobreza, para a qual o casamento era essencialmente uma forma de constituir ou de reforçar  alianças entre linhagens, de modo a garantir a perpetuação destas e a transmissão do respectivo património, material e simbólico. Para os nobres, a dissolução do casamento e o repúdio da mulher casada poderiam ter lugar se a relação conjugal não gerava herdeiros ou se se perfilava uma mais promissora aliança por via de um novo casamento.

A família - estruturas de parentesco e casamento, Bernardo Vasconcelos e Sousa e José Augusto de Sotto Mayor Pizarro, pág. 130


Sem comentários: