Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

26 janeiro 2014

Responsabilizar a praxe

Defendi, neste meu post, a criação de regras para a praxe académica. Felizmente, há mais quem tencione mudar o estado das coisas:

A larga maioria das praxes académicas envolve alguma forma de violência. A conclusão é de um estudo feito pela psicóloga Sofia Correia Pinto. Dos estudantes inquiridos, mais de 77% revelaram terem sido vítimas de violência em situações de praxe. A psicóloga adianta que a prática de actos de violência durante as praxes acontece tanto no ensino público como no privado e alerta que a única forma de ter a situação sob controlo é responsabilizando as universidades. 

Se “queremos controlar a praxe, se queremos dar competências às pessoas que estão a fazer a praxe, responsabilizá-las e dar também voz àqueles que são vítimas é integrar as praxes nas faculdades”.

Espero mesmo que não se continue a fechar os olhos!


2 comentários:

Manuel Joaquim Sousa disse...

De facto este tema chegou à actualidade por força das circunstâncias mais trágicas, apesar de ser temas que já devia ter sido discutido há muito mais tempo. Não sabemos se o assunto será esquecido até que outras tragédias aconteçam. Espero que não.

Manuel Joaquim Sousa
http://bloguedomanel.blogs.sapo.pt

Cristina Torrão disse...

Pois é, Manuel, infelizmente, só depois de acontecerem tragédias se discutem assuntos e se tenta mudar algo.