Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

05 agosto 2014

Nada como ler os clássicos (8)

Perguntado porque deixara de tomar rapé, costume indicativo de homem pensador e estudioso, respondeu que alguns escritores modernos atribuíam ao amoníaco, parte componente do rapé, o deperecimento das faculdades retentivas, pela acção deletéria que o poderoso alcali exercitava sobre a massa encefálica. Além de que a fumarada do charuto, sobre ser purificante e antipútrida, dava aos alvéolos solidez, e consistência aos dentes.

In "A Queda Dum Anjo", Camilo Castelo Branco


4 comentários:

Bartolomeu disse...

Ao ler tal "tratado de medicina", não se estranha que naquela época considerassem que a masturbação provocava a cegueira...

Cristina Torrão disse...

Também ouvi a versão de que enfraquecia o coração.

Jose Catarino disse...

Ouvi contar que um médico, em tempos recentes, recomendava fumar para secar as humidades dos pulmões...

Cristina Torrão disse...

Quem sabe... Mas os malefícios serão certamente superiores.