Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

26 outubro 2014

Trabalho Infantil Legalizado




No início de julho, o Congresso da Bolívia decidiu legalizar o trabalho infantil a partir dos catorze anos, sob condições especiais já a partir dos dez. Em agosto, a lei entrou em vigor.
Um regresso inadmissível ao passado?

Na verdade, a promulgação desta lei representa uma vitória do Unat's Bo, um Sindicato de crianças e jovens. Sem o seu trabalho, muitas famílias do país mais pobre da América Latina não conseguem sobreviver. Nas palavras do Presidente Evo Morales: «Não nos é possível acabar com o trabalho infantil, mas podemos, pelo menos, melhorar as condições de trabalho das crianças». A lei estabelece que as crianças têm de frequentar a escola, que as suas famílias têm de autorizar o seu ganha-pão e proíbe o trabalho em minas, construção civil, na colheita da cana-do-açúcar ou na separação de lixo.

Como se esperava, é uma lei polémica. Além da rejeição que provoca a mera ideia de trabalho infantil, para muitos, esta é a prova da capitulação do sistema social da Bolívia. Mas não se pode fugir aos factos: 90% das crianças bolivianas vivem de um dólar ou menos por dia, muitas moram na rua, e alegra-as o facto de poderem ganhar algum dinheiro a limpar pára-brisas num cruzamento, ou a vender souvenirs aos turistas. «Defendemos o nosso direito ao trabalho», afirmam os membros do Unat's Bo.


3 comentários:

Cláudia da Silva Tomazi disse...

Questões deste nível o Human Right, responsabiliza-se Cristina.

Com relação ao Presidente Evo Morales (se bem recorda) levou o cala boca do rei d Espanha e, também, o espaço aéreo da Europa fechado no episódio Snowden.

Cristina Torrão disse...

As próprias organizações e instituições que se ocupam dos Direitos e Defesa da Criança não estão de acordo, neste caso.

Sim, Evo Morales teve esse percalço, ao regressar de uma viagem a Moscovo. Mas quem o rei de Espanha mandou calar foi o falecido Hugo Chavez.

Cláudia da Silva Tomazi disse...

Economiza tempo e dinheiro Cristina, (assunto desta natureza) e, que Deus o tenha Hugo Chaves.