Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

25 novembro 2014

Carinho Animal




«Mas o destino daquela noite ainda não estava completamente determinado. As horas seriam intermináveis até à alba, porque o outro borreguinho estava atravessado no corpo da mãe e precisava de mãos humanas e experientes que o puxassem para a vida. Enquanto a Mocha tentava expurgar um corpo que já não deveria pertencer ao seu útero morno, o Farrusco aproximava-se da outra cria e tentava aquecê-la. A determinada altura sentiu inclusive que o cordeirinho tateava o seu ventre à procura da teta materna».

In “Farrusco – um cão de gado transmontano”, de Isabel Mateus
Ilustrações de Cristina Borges Rocha


2 comentários:

Bartolomeu disse...

Nós, os animais dotados de inteligência e raciocínio, poderíamos aprender imenso, em matéria de sentimentos, com os não racionias. Bastaria para isso que fiséssemos uso, um pouco mais de humildade.

Cristina Torrão disse...

É isso mesmo, meu amigo :)