Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

14 novembro 2014

Mania de Escritor

Imagem daqui

O título é roubado a um post da editora Maria do Rosário Pedreira e este texto é baseado no meu comentário.

Em primeiro lugar, não sei se sou escritora, se não. Para alguns, serei; para mim, sou (caso contrário não me dava ao trabalho de exercer uma atividade que monetariamente não compensa); para outros, ando a armar-me em.

Enquanto escrevo, sempre no computador, a minha única mania é... anular manias. Nada de café, bolos, chocolates, álcool, cigarros (deixei de fumar há cerca de vinte anos, uma das melhores decisões da minha vida). No máximo, tenho um copo de água a meu lado. A utilidade disto tudo? Não alimentar vícios que são extremamente difíceis de erradicar. E sou de opinião de que, quando se come, ou se bebe, não se deve fazer outra coisa ao mesmo tempo (talvez apenas conversar) para melhor apreciarmos aquilo que engolimos.

Às vezes, esqueço-me de comer durante quatro ou cinco horas.

Disciplinada? Sou! Deve ser por isso que me dei bem na Alemanha, desde o primeiro dia. Mas há quem diga que a disciplina é essencial ao escritor...


P.S. Estou a rever o romance sobre D. Dinis (já não pegava nele há mais de três anos) e estou a adorar! Em breve, porei algumas páginas à disposição para download.


2 comentários:

Cláudia da Silva Tomazi disse...

Sinceramente Cristina, está a ser precoce vos caracterizar um tema comum (feito roubo) e claro, para além de ser sugestivo não combina com vossa armada.

Cristina Torrão disse...

Apeteceu-me... ;)