Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

22 janeiro 2015

Incentivar as crianças a ler


Uma coisa deve ficar clara: os pais são o grande modelo, pelos quais os filhos se orientam. Sem o seu incentivo, ou a sua ajuda, os filhos dificilmente adquirem hábitos de leitura!

Segundo um estudo levado a cabo na Alemanha, em 2014, pela "Fundação Ler" (Stiftung Lesen), do Ministério da Educação e da Investigação daquele país, a um terço das crianças não são lidas histórias. E, no entanto, o ler para os filhos não tem só uma função educativa, é igualmente um ponto importantíssimo na consolidação dos laços afetivos. Enquanto o pai ou a mãe está a ler para o/a filho/a, está a reservar tempo para o rebento, cria-se um momento íntimo. Além disso, as histórias podem ser um bom pretexto para abordar temas que ocupam a criança, que aproveita para desbafar sobre aquilo que a preocupa, amedronta, ou, pelo contrário, a põe satisfeita. A paciência com que o pai ou a mãe a ouve e a leva a sério é fundamental no seu crescimento saudável.

Com a ajuda dos livros também se podem tematizar vivências fraturantes, como o aumentar da família com o nascimento de um/a irmã/o, a mudança para outra localidade, a entrada na escola, ou a separação e a consequente sensação de perda.

A Stiftung Lesen aconselha os pais a irem regularmente com os filhos, mesmo pequenos, à biblioteca. Mesmo não se lendo, a simples observação de gravuras pode ser um pretexto para desenvolver a fala das crianças, se os pais as encorajarem a descreverem o que veem, ou até a inventarem uma história a partir da ilustração. Muitas bibliotecas possuem um canto apropriado para pais e filhos.

Um outro conselho desta "Fundação" é continuar a ler às crianças, mesmo depois de estas já terem entrado na escola e conseguirem ler sozinhas, precisamente para continuar a fortalecer os laços afetivos. Além disso, os livros também devem ser sinónimo de divertimento e bem-estar, para não ficarem conotados apenas com escola e estudo.

Na entrada da puberdade (pelos doze anos), muitas crianças, que até então tinham hábitos de leitura, começam a desinteressar-se pelos livros. Outras coisas surgem que as atrai mais, ou que elas consideram mais importantes. Os especialistas aconselham calma aos pais. Discussões agressivas ou críticas demasiado depreciativas são contraproducentes. Encarar as fases de crescimento com normalidade é muito importante e, na verdade, uma criança que antes da puberdade gostasse de ler, normalmente readquire esse gosto pelos catorze ou quinze anos.




6 comentários:

Olinda Melo disse...


Completamente de acordo. Criar hábitos de leitura, lendo histórias às crianças e levando-as à biblioteca é meio caminho andado para que os mesmos se arreiguem na sua formação.

Cara Cristina, muito obrigada pelos links que me levou.:)

Bjs
Olinda

Cristina Torrão disse...

Eu é que agradeço as suas visitas e os excelentes comentários :)

Bjs

Sara disse...

No meu caso os meus pais nunca tiverem hábitos a esse nível nem havia literatura cá em casa acho eu, mas a minha mãe deve ter reparado no meu interesse em folhear coisas então colocava-me à frente jornais e os livros de cozinha...Felizmente nunca me impediram de ler ou de comprar livros, pelo contrário. Mas concordo: se os pais tiverem bons hábitos de leitura é muito provável que os filhos os imitem especialmente se tb forem envolvidas nela. Muitos pais hoje em dia limitam-se a largar os putos em frente à TV...

Cristina Torrão disse...

Isto é como tudo, Sara: há filhos de pais sem hábitos de leitura que se tornam leitores compulsivos e o contrário também se verifica. Durante a minha infância, também ninguém me incentivou a ler; durante a juventude, a coisa modificou-se um pouco. Mas demorei a tornar-me numa boa leitora e só iniciei a escrita aos 35 anos.
De qualquer maneira, em geral, os filhos seguem o exemplo dos pais, por isso, é bom incentivar. Mas sem obrigação!
Sei que a Sara é uma boa leitora. Continue a ler e a escrever bem, no seu blogue. Embora não tenha comentado, nos últimos tempos, vou lá dar uma olhada, de vez em quando.

Sara disse...

É verdade...Com frequência leio textos de pais que gostam de ler, mas os filhos não e que ficam sem saber bem o que fazer para os convencer. Por vezes os pais lerem não é suficiente...É um princípio, depois é preciso estimular os miúdos. Eu não me importava de ter tido mais livros disponíveis...lol.

Sempre bem vinda :)

Vespinha disse...

É tao importante fomentar hábitos de leitura desde bem pequeninos. Primeiro ler-lhes, depois dar-lhes livros a folhear, incentivá-los a à noite espreitarem um livro antes de dormir...