Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

28 janeiro 2015

Os Segredos de Jacinta - Excertos (9)



Embrenhou-se na serra, correndo sem parar. Não fugia apenas do mosteiro. Fugia também do turbilhão de sentimentos que devastava o seu peito com a força de um tufão. Fugia, como se o virar das costas aos destroços negasse a sua existência. Mesmo quando já sentia falta de ar e as pernas lhe doíam, continuou a galgar os caminhos íngremes da serra.
Chegada ao moinho, deixou-se cair no chão, a respirar às golfadas.
Não sabia há quanto tempo ali jazia, quando tomou consciência do frio, dos pés gelados. Rastejou até ao canto das mantas, onde se quedou tolhida. Ignorava fome e sede, tudo o que significasse vida, esse albergue de sensações e pensamentos que a aterrorizavam.
Só ao escurecer foi acordando daquele transe, finalmente perfurado pelos espinhos da dor. Tormentos e choros sacudiam-lhe o corpo, alimentando-se do resto de energia que lhe restava. A fraqueza mental e física acabou por mergulhá-la numa vigília, entrecortada por pesadelos, num escuro total, enquanto os lobos uivavam pela serra.


Sem comentários: