Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

18 junho 2015

Irmãos e irmãs de Jesus

Há várias passagens da Bíblia que referem irmãos de Jesus Cristo:

"Muitos, ao ouvirem-no ficaram tão admirados que se perguntavam: «Donde lhe vem tudo isto? Que sabedoria é esta que lhe foi dada? Que milagres são estes que as suas mãos realizam?! Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não vivem também aqui connosco as suas irmãs?» E não queriam nada com ele. Então Jesus disse-lhes: »Nenhum profeta é desprezado a não ser na sua terra e entre os seus parentes e familiares.»"
Mc 6, 1-5

"Mas como a festa judaica das Tendas se aproximava, os seus irmãos disseram-lhe: «Por que não sais daqui e vais até à Judeia para que os teus discípulos possam ver as maravilhas que fazes? Se alguém quer ser conhecido não pode fazer as coisas em segredo. Já que fazes coisas como estas, mostra-te ao mundo!» A verdade é que nem os seus próprios irmãos acreditavam nele."
Jo 7, 2-6

"Todos tomavam parte nas reuniões de oração com regularidade e no mesmo espírito, juntamente com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus."
At 1,14

Para alguns dos primeiros teólogos do Cristianismo, também conhecidos como Pais da Igreja, estes irmãos eram filhos de um primeiro casamento de São José.
Tertuliano (um dos Pais da Igreja, à volta do ano 200) considera-os filhos de José e Maria, nascidos depois de Jesus, uma hipótese aceite no Protestantismo. A interpretação católica da Bíblia, porém, vê-a como incompatível com o dogma da virgindade de Maria e sugere que os termos «irmãos» e «irmãs» se usem num sentido alargado, referindo-se a primos ou outros parentes, que seria inclusive um costume da época.

É de facto verosímil que José e Maria tenham tido vários filhos. Além disso, é interessante verificar que, nas duas primeiras passagens citadas, sugere-se uma espécie de rivalidade entre Jesus e os seus irmãos, que parecem desdenhar dos ensinamentos e das pregações do Messias.

Uma família, no fundo, igual às outras? É pena que não se explore esta faceta da vida de Cristo...


2 comentários:

Iceman disse...

Olá Cristina!

Qualquer temática em torno de Jesus Cristo é algo que gosto de debater, no entanto as minhas opiniões raramente são aquelas que as pessoas gostam de ouvir e sim de acordo com o que a História diz.

Sobre este tema, irmãs e irmãos de J.C., eu refiro apenas que naquele tempo qualquer casal tinha imensos filhos, era algo normalíssimo e mal do homem que não os tivesse... e mais não digo porque posso ferir susceptibilidades.

Há um livro muito interessante escrito por Reza Aslan que se chama "O Zelota" e onde o autor aborda quotidiano daquele tempo e a facção judaica a que pertencia a família de J.C. e nessa leitura facilmente percebemos que há dois mil anos de autêntica ficção...

Beijinho!

Cristina Torrão disse...

Olá Iceman! Bem-vindo de volta :)

Pois, o dogma da virgindade de Maria rejeita qualquer hipótese de Jesus ter tido irmãos para os católicos. Para quem é profundamente religioso, pode até tornar-se chocante, ou horrendo.
E, no entanto, nada mais natural! Lembro-me bem dos filmes sobre a vida de Cristo, que vi na infância, que o apresentavam sempre como filho único, apesar de a sua mãe e o pai adotivo viverem juntos. E, numa época em que não existiam contracetivos eficazes, é lógico que os homens se orgulhassem da sua prole numerosa.

Obrigada pela sugestão de leitura!
Beijinho!