Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

11 agosto 2015

Deus Branco


Brutais, as palavras da escritora e jornalista Ana Margarida de Carvalho, na sua crítica ao filme húngaro Deus Branco, publicadas na Revista Visão do passado 28 de Maio, mas que só agora li. Passo a citar:

«A nossa condição de omnívoros porduz atrocidades contra as espécies comestíveis. Mas acontece que entre o cão e  homem há uma ligação que remonta ao fundo dos séculos, um entendimento único entre espécies, e um grau de confiança que não tem equiparação com nenhuma outra - nós somos uma espécie de Deus para eles (e isto não é necessariamente bom). Por isso assistimos a este filme de coração esmagado. Primeiro, o abandono, a perplexidade do animal, a ameaça do trânsito, na perspectiva do cão, as rodas do carro roçam-lhe a cabeça... Depois, a perseguição dos canis, matadouros em série. Em seguida, a maldade, as lutas de cães, os espancamentos, os doppings para se tornarem agressivos, máquinas de matar... E um cão dócil é forçado a aprender a maldade, por parte daqueles em quem sempre confiou, e que ainda por cima têm a responsabilidade de serem homo duplamente sapiens...»

Muitas vezes, não sei porque é que Deus nos deu inteligência (ou aquilo que consideramos inteligência).
Resta acrescentar que não vi o filme, nem tenciono ver. Confesso que sou fraca demais, que não tenho estômago.

2 comentários:

Alexandre magno guedes alcoforado disse...

FILME BONITO E TRISTE.PROVA QUE A RAÇA HUMANA É O LIXO DO UNIVERSO.OS CACHORROS SÃO SOLIDÁRIOS E AMIGOS.SÓ UMA CRIANçA PERCEBE E TENTA SALVAR HAGEN,O CÃO MESTIÇO,VIRA~LATA.LEMBRA O NAZISMO DOMOFE HITLER E O DRAMA DOS PALESTINOS E REFUGIADOS SÍRIOS.EM SUMA:INTOLERÂNCIA.XENOFOFOBIA,HO

Cristina Torrão disse...

Tanta inteligência para nada...