Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

21 outubro 2015

É hoje, é hoje!




21 de Outubro de 2015! 

Foi precisamente nesta data que Marty McFly e Doc Brown chegaram ao futuro, no segundo filme da saga Regresso ao Futuro. O filme foi estreado em 1989 e é interessante ver quais as previsões que se cumpriram e as que não:

Atacadores automáticos:

Criou sensação, na altura, a cena dos ténis com os atacadores automáticos. Ainda não se tornaram comuns, mas a Nike registou uma patente destas no passado mês de Abril e está previsto os ténis serem lançados no mercado no fim deste ano. Aguardemos!

Skate Hoverboard e carros voadores:

Fez as delícias de todos os jovens da altura, o Sakteboard voador usado por Marty numa das cenas mais famosas e empolgantes do filme. O sonho, porém, ainda não se tornou realidade, embora já haja firmas a investir no seu desenvolvimento. Assim como em carros voadores. É famosa a frase que Doc Brown diz no final da primeira parte da saga, quando se preparam para viajar para o futuro: «Estradas? Para onde vamos, não precisamos de estradas». Ai não?

Outdoors holográficos:

Em 2015, o Marty McFly dos anos 1980 assusta-se, quando, num outdoor anunciando a 19ª parte do Tubarão, um desses animais gigantescos, de repente, sai da tela. A tecnologia para projetar hologramas tridimensionais já existe, mas ainda não está vulgarizada, muito menos, em outdoors.

Ecrã plano e videochamadas:

Marty admira-se por, na sua casa do futuro, haver ecrãs planos em várias paredes, algo que aliás já é realidade (embora não nessa quantidade em todos os lares). Também se espantou com as videochamadas. Hoje em dia, nada mais natural, em qualquer smartphone ou iPad. E, maravilha das maravilhas: hoje não ficamos de boca aberta, ao vermos ver no display a informação de quem nos telefona, antes de atendermos a chamada!


O filme, porém, falhou uma grande previsão, hoje tão infiltrada no nosso quotidiano, que já não imaginamos a vida sem ela: a internet!

Já agora, menciono algo a que acho imensa piada: há uma cena em que Marty olha para uma montra que anuncia “velharias” e vemos lá um ecrã de computador novinho em folha… Para nós, na altura! Hoje, ao ver o filme, surge-nos como verdadeira sucata.


2 comentários:

Bartolomeu disse...

Ou seja, a imaginação do realizador foi mais veloz que o desenvolvimento tecnológico, no caso dos skates, dos carros voadores e nos outdoor interativos mas, acobardou-se na área das comunicações, apesar de ter posto uma pita a atender o telefone usandos uns óculos todos atrevidotes. ;)

Cristina Torrão disse...

Olha, não mencionei os óculos que nos ligam à realidade virtual. Já existem óculos desse género, mas estão longe de pertencerem ao nosso quotidiano.