Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

07 janeiro 2016

691º aniversário da morte de Dom Dinis



Mal começo o ano dedicado ao Rei Lavrador, vejo-me obrigada a anunciar o aniversário da sua morte!

Dom Dinis faleceu a 7 de Janeiro de 1325, com sessenta e três anos, sendo aclamado seu filho Afonso IV como rei de Portugal.

Dom Dinis teve um reinado preenchido e, dos quarenta e seis anos que reinou, cerca de quarenta foram felizes, pois o soberano estava, desde o início, perfeitamente vocacionado para a sua tarefa, sentindo-se, por assim dizer, como peixe na água.

Os últimos anos foram, porém, marcados pela guerra civil contra o seu próprio herdeiro, o que muito o amargurou e tanto desgastou, que o conflito bem pode ter acelerado a sua morte.



«Dinis andava estafado. As dores de cabeça e as tonturas aumentavam e ele emagrecia, pois muitas vezes se sentia enjoado ou, simplesmente, sem apetite. Mais do que os combates ferozes, esgotava-o a guerra de nervos. Dinis tinha consciência de que a ansiedade permanente, aquele receio constante de ser derrotado pelo príncipe, estava a matá-lo. Quando lhe vinham dizer que os soldados de Afonso haviam ganho mais uma escaramuça e que seria cada vez mais difícil impedi-lo de entrar na cidade, o monarca só pedia a Deus que não o deixasse morrer derrotado e deposto, como o avô. Tornara-se rei com dezassete anos, quase não se lembrava de não o ter sido. E pretendia sê-lo até ao fim».

In D. Dinis - a quem chamaram o Lavrador
 

Abstenho-me de referir mais pormenores, pois eles irão surgindo, à medida que vou desfiando o seu reinado, durante este ano.

Conforme sua vontade, Dom Dinis foi sepultado no mosteiro de Odivelas, mandado construir por ele próprio.

©José Custódio Vieira da Silva

O estado degradado em que se encontra a sua sepultura, levou um grupo de cidadãos a criar uma página no Facebook, a fim de alertar quem de direito para a necessidade da sua recuperação. Se quiser apoiar este movimento, ponha um gosto na página: Vamos salvar o túmulo do rei D. Dinis!


Sem comentários: