Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

24 fevereiro 2016

O Vale Sombrio (ou “Das Finstere Tal”, ou “The Dark Valley”)




O que soa a absurdo revela-se um inesperado bom filme, realizado pelo austríaco Andreas Prochaska, conhecido no meio germanófilo, ganhador de prémios.

Um fotógrafo americano, interpretado pelo britânico Sam Riley, chega, nos fins do século XIX, a um vale perdido nos Alpes austríacos, onde se situam duas pequenas aldeias. Os habitantes são fechados e hostis, não apreciam forasteiros. A filha da dona da casa onde o fotógrafo se hospeda estranha ele saber falar alemão. Ele diz que aprendeu com a mãe, nada mais conta. A jovem aconselha-o a ir embora, antes da chegada do Inverno, quando o vale fica isolado pela neve. O forasteiro alega que apenas deseja tirar fotografias.

Imagem daqui

Com a chegada da neve ao vale, começa uma série de assassínios e é claro que se desconfia do americano. A jovem censura-o por ele não ter desaparecido, enquanto teve ocasião. É também esse o nosso pensamento, como espectadores. Porém, à medida que o filme avança, começamos a nos perguntarmos se o fotógrafo tem de facto algo a ver com os crimes. O ambiente nas duas aldeias é sinistro, torna-se claro que guardam um qualquer segredo. E, embora ninguém conheça o americano, ele parece ter algo a ver com esse segredo. 

Imagem daqui

Mesmo depois de se saber no que consiste o tal segredo (aliás, uma ideia pouco original), mantém-se o suspense, que culmina num tiroteio impiedoso, ao estilo dos melhores Westerns americanos, com a particularidade de este se dar no meio da neve. Aliás, todo o filme transmite um frio cortante e a dureza da vida num Inverno rigoroso, quando ainda não havia um mínimo de conforto. 

Imagem daqui

Sam Riley ficou conhecido pela sua atuação como Ian Curtis no filme biográfico Control (2007), sobre o líder da banda pós-punk britânica Joy Division. 

Imagem daqui
 Tobias Moretti, é um famoso ator austríaco, que ficou conhecido internacionalmente através da série Rex, o cão polícia, na qual desempenhou o papel principal entre 1994 e 1998, abandonando voluntariamente a série e sendo substituído. Tem feito carreira no cinema e no teatro. 


Embora eu tenha encontrado um cartaz do filme em inglês, não me parece haver versões dobradas ou legendadas, o que acho uma pena. Vejo-me obrigada a deixar-vos com o trailer alemão. Mesmo não entendendo a língua, as imagens são poderosas. 




Sem comentários: