Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

17 junho 2016

Porque é tão difícil mudar os costumes

Quando nos damos conta do quanto a nossa sociedade ainda é machista, muitos homens costumam dizer que é assim porque as mulheres gostam. De facto, constatamos que a maioria das mulheres é igualmente responsável para que se mantenha este estado de coisas. E perguntamo-nos porquê. Será que as mulheres nasceram mesmo apenas para obedecer, agradar e manter os homens satisfeitos e limpos?

Ora bem, as mulheres são assim educadas, crescem assim. E é muito difícil renegar aquilo que aprendemos em casa, mesmo que tenha sido para nossa desvantagem. Quando se trata da educação que recebemos em casa dos pais, pouca gente consegue ser objetiva (na verdade, uma ínfima minoria).

É conhecido que a maior parte das pessoas afirma ter tido uma infância feliz, que os pais foram sempre justos e carinhosos, mesmo que isso não tenha acontecido. Por um lado, tem-se saudades da ingenuidade e dos sonhos desse tempo, um tempo em que, a bem ou a mal, tudo parecia estar em ordem, no seu sítio devido. Por outro lado, é muito difícil aceitar que os nossos pais erraram e nos transmitiram comportamentos e conceitos falsos. Para muita gente, esse reconhecimento equivale a tirarem-lhes o tapete de debaixo dos pés. Por isso, preferem manter-se fiéis ao que aprenderam. Dá menos trabalho e, acima de tudo, dói menos.

E assim se vão transmitindo os costumes de geração em geração, os bons e os maus. Claro, precisamos de algo que nos identifique. Mas não menos necessário é ter a coragem de romper com conceitos e comportamentos que nos prejudicam.


Nota: texto inspirado neste post da Sara.


1 comentário:

Sara disse...

Porque as mulheres gostam....Ah, estes argumentos. Deitam para cima de nós a culpa de um sistema que não fomos nós que criamos, onde temos de sobreviver e onde (em 90% do mundo) não há escolha possível e tentar fugir à norma significa morrer. A ideia de escolha no caso das mulheres é muitíssimo recente, mesmo em países civilizados. Concordo com o que dizes: é difícil fugir ao que nos ensinam, é como a violência: quando cresces num ambiente assim a tendência é reproduzir o mesmo padrão, embora tb dependa sempre de pessoa para pessoa. Com a informação que existe hoje é difícil ver pessoas a escrever (dizer) certas coisas...Mas enfim.