Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

04 março 2017

Saudade, Desbundar, Desenrascanço



Não parece, mas estas palavras têm algo em comum: considera-se que são intraduzíveis. Pelo menos, assim o diz Tim Lomas, da Universidade de Londres.

Que a palavra saudade não tem tradução literal noutras línguas, já era conhecido - embora eu duvide; ou melhor, chamo a atenção para o facto de que a dificuldade de tradução não implica que os naturais de outros países não saibam o que é ter saudades, ou não conheçam o sentimento ligado à saudade.

Esta dificuldade de tradução costuma deixar-nos muito orgulhosos, pois a saudade, tendo um conceito muito poético, torna-se própria de um país de poetas. Mas que dizer de desbundar e desenrascanço? São muito portuguesas, mas não são poéticas. Enfim, só prova que temos outras características, o que é muito bom.

Não se pense, porém, que somos o único povo do mundo a ter palavras intraduzíveis (uma outra característica nossa é pensarmos constantemente que somos os únicos ou os melhores do mundo nisto ou naquilo; é pena não haver uma palavra que defina isso mesmo). O estudo de Tim Lomas encontrou palavras dessas em muitas línguas. É o caso do termo filipino Kilig, ou da palavra holandesa Uitwaaien, ou ainda do termo do dialeto africano Bantu Mbuki-mvuki. Para ficarem a saber os seus significados, cliquem nelas!

Este estudo encontrou também uma palavra alemã difícil de traduzir: Sehnsucht, um termo que considero aliás muito próximo da nossa saudade. 


Sem comentários: