Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

20 maio 2017

«Uma vitória na Eurovisão não serve para nada»


São palavras do Professor Marco Neves e eu concordo com elas. Mas vamos por partes!

Uma vitória portuguesa num palco internacional serve sempre para alguma coisa, quanto mais não seja, para que uma data de outros países tomem, por momentos, consciência de que existimos o que, convenhamos, já não é nada mau. Também serve, e isso será o mais importante, para nos aumentar a autoestima durante um determinado tempo.

O problema é que temos uma enorme tendência para exagerar. Dizemos logo que demos uma grande lição aos outros países e que esta vitória foi muito importante para a música portuguesa. Nem uma coisa nem outra é verdade!

Não demos lição nenhuma a ninguém! Salvador Sobral não foi o primeiro concorrente a cantar sozinho, na língua materna, sem efeitos de luzes e de sons. Quase todos os anos surge, pelo menos, uma participação desse género, que normalmente fica bem classificada. E, muitas vezes, o/a vencedor/a destaca-se precisamente pela simplicidade (não tanta como a dele, mas indubitavelmente mais simples do que os outros). Quem acompanha o Eurofestival todos os anos, como eu, sabe bem que assim é.

Achei aliás a atitude de Salvador Sobral, no fim, um pouco arrogante, ao dizer: «a música não é fogo de artifício, é sentimento». O apresentador tinha-lhe passado o microfone perguntando-lhe se ele queria dizer alguma coisa à Europa. Penso que estava a pensar em agradecimentos, ou algo do género. Salvador saiu-se com essas palavras pouco elegantes, desprezando a participação dos outros concorrentes. Foi a mesma coisa que dizer: “os outros não prestaram para nada, eu é que trouxe aqui uma canção de jeito”. Foi pouco elegante, admitamos! Se o tivesse dito no nosso país, numa qualquer entrevista… Mas disse-o a um microfone ligado a centenas de milhões de pessoas, na cara dos "colegas" de percurso!

Quanto ao efeito desta vitória na música portuguesa… É nulo! Valerá talvez apenas para consumo interno, pois, a nível internacional, não haverá mudanças. O júri alemão deu doze pontos ao Salvador Sobral e, no programa que acompanhou a transmissão do festival, elogiou o nosso cantor. Isso, porém, não quer dizer que na Alemanha (o caso que conheço melhor) o interesse pela música portuguesa irá aumentar, pelo menos, não significativamente. Ainda não ouvi a canção na rádio alemã, nem me apercebi que andasse alguém à procura dela. Por isso, muito me admira que um músico experiente como Tozé Brito vá dizer ao Telejornal que a vitória foi muito importante para a música portuguesa. Mas ele acredita mesmo nisso?

Parafraseando Marco Neves, mais uma vez, «esta vitória foi como um sonho vindo das profundezas da nossa infância». Para mim foi realmente o seu aspeto mais importante. Tantas vezes, desde miúda, invejei os países que se fartavam de ter votos, perguntando-me a mim mesma que sensação tal nos provocaria. Agora já sei, graças ao Salvador.

Obrigada, Salvador Sobral!

http://www.tsf.pt/cultura/interior/primeiro-concerto-de-salvador-sobral-desde-a-eurovisao-8491226.html


1 comentário:

ALEXANDRE MAGNO GUEDES ALCOFORADO disse...

'PRECISAMOS ESTREITAR OS LAÇOS ENTRE PORTUGAL E BRASIL,ALÉM DE OUTROS PAÍSES ONDE FALAMOS O PORTUGUês ,POIS NOSSO IDIOMA ESTÁ EM GOA,MACAU,CABO VERDE E ETC.HÁ MUITA COISA BOA PARA DESCOBRIRMOS E/OU DIVULGARMOS.EU NUNCA VOU ESQUECER AMÁLIA RODRIGUES,CARLOS DO CARMO E OUTROS NOMES BELOS E TOCANTES NO RAMO DA MÚSICA,POESIA...EU GOSTAVA MUITO QUANDO AMÁLIA RODRIGUES PARTICIPAVA DAS NOVELAS E TELETEATROS DA TV BRASILEIRA.FAZ FALTA TANTO QUANTO EDITH PIAF,ELIS,MAYSA,...TANTAS MULHERES COM VOZES QUE TOCARAM NOSSOS CORAÇÕES NO BRASIL E NO MUNDO.NUM MUNDO ONDE IMBECIS COMO DONALD TRUMP E MINISTROS ISRAELENSES MATAM INOCENTES A MAGIA DE AMÁLIA TRAZ ESPERANÇA...'