Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

08 março 2018

A Nossa Primeira Grande Mulher


D. Teresa, miniatura medieval de manuscrito gótico do mosteiro de Toxosoutos

A desacreditação de Dona Teresa, iniciada durante a sua vida, perdurou muito para além da sua morte, num contexto de tradição oral e de criação de mitos e lendas que se introduziram no imaginário coletivo e que chegaram a prejudicar a própria investigação histórica moderna.
Na verdade, mais do que Dom Henrique, Dona Teresa preparou o caminho que seu filho Afonso haveria de traçar.

Há um ano, a página Lisbon's Heritage do Facebook, publicou um texto com o título: Terá sido Portugal fundado por uma mulher? E referia que entre documentos régios e particulares, com destaques para as cartas de doação ou de escambo existem várias provas de que D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, surge já com o título de rainha num período compreendido entre 1105 e 1126.

Publico algumas das imagens anexas a esse post:


Carta de delimitação de Penacova e Lorvão datada de 1105. 
É visível a diferenciação de tratamento entre D. Henrique de Borgonha (que ostenta o título de conde) e D. Teresa que surge já como rainha.
 Fonte: Arquivo Nacional da Torre do Tombo: Documentos provenientes do Mosteiro de Lorvão (Coimbra).




 

Referência ao "reinado da infanta D. Teresa de Portucale e Coimbra" numa contenda entre D. Gonçalo Pais, bispo de Coimbra (1109-1127) e Mendo Nunes. 
Documento datado de 26 de Março de 1117.
Fonte: Arquivo Nacional da Torre do Tombo - Documentos do Cabido da Sé de Coimbra.




Bula "Fratrum Nostrum" emitida pelo papa Pascoal II em 18 de Junho de 1116. 
É visível a referência a D. Teresa como rainha ("T. Regina") e aos bispos portugueses ("portugalensis eps"). 
Fonte: Arquivo Nacional da Torre do Tombo - Documentos do Cabido da Sé de Coimbra.



 

Carta de doação de Vila Cadima datada de 5 de Maio de 1119. 
Vê-se o selo real de D. Teresa (Tarasia) no fim do documento.
Fonte: Arquivo Nacional da Torre do Tombo - Documentos do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra.



Carta de doação de Souto Seco e Pombeiro datada de Janeiro de 1126. 
No fim do documento observa-se o selo real com os dizeres "Tarasia Regina" (Teresa Rainha). 
Fonte: Arquivo Nacional da Torre do Tombo - Gavetas.


Informação confidencial: Diz que as memórias de Dona Teresa serão publicadas este ano...


2 comentários:

Gil António disse...

Sendo hoje DIA INTERNACIONAL DA MULHER, NADA ME IMPEDE DE DIZER QUE: "" Cada mulher que nasce é uma Estrela que brilha na Terra "" ...... A Sua publicação é de uma doçura maravilhosa.
.
* (Poetizando e Encantando) MULHER ... O Equilíbrio da Vida *
.
Votos de um dia feliz

Olinda Melo disse...


Olá, Cristina


Tendo em conta estas notícias, muito há ainda para descobrir sobre esta Senhora que, realmente, não tem sido muito bem tratada. Aguardemos pois pelas suas "Memórias".

Bj

Olinda