Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

04 abril 2018

Guerreiros de Pedra





Um livro fantástico, essencial para quem se interessa pelo mundo medieval e se quer livrar de crenças ou mitos, baseando-se em informação honesta, segundo o conhecimento histórico atual (porque, se há uma área ainda cheia de equívocos, é a da guerra medieval).

Este livro não é só de leitura, também de consulta, facilitada pela maneira como está estruturado. Temos descrições de vários castelos portugueses, como Tomar, Guimarães, Lanhoso, Almourol, Feira, Leiria, Beja e muitos outros, descrições que nos esclarecem quanto à data da sua construção e às mudanças que foram sendo operadas ao longo dos séculos. Um dos erros mais comuns é, por exemplo, assumir que o castelo de Guimarães era, ao tempo de D. Afonso Henriques, tal e qual como o vemos hoje.

Além das informações sobre os castelos e suas funções, ficamos a saber como decorria o quotidiano da guarnição, como esta estava organizada, como se processava a vigilância das praças-fortes, quais as táticas de ataque e defesa, como funcionavam os cercos (tanto do ponto de vista dos atacantes, como dos defensores), etc. Muito importante também é verificar quais as técnicas usadas nas diversas fases medievais, pois, um outro erro grosseiro, muito comum, é pensar que não houve evolução ao longo da Idade Média.

Numa linguagem acessível, por não ser excessivamente académica, este é um livro de facto essencial, um livro, no qual muito sublinhei e anotei, como se pode ver na imagem, e que folhearei e consultarei ainda muitas vezes.




Do mesmo autor, lerei, com toda a certeza, 1147 - A Conquista de Lisboa na Rota da Segunda Cruzada e De Ourique a Aljubarrota.
Mas há mais…


1 comentário:

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Cristinamiga

Creio que sabes que entre os temas de que mais gosto a História ocupa um lugar cimeiro, tenho na minha biblioteca (que não é despicienda...) bastantes livros sobre ea. Basta que sejas tu a mencionar este e ogo que possa vou comprá-lo.

E como "amor com amor se paga" também te deixo uma informação. No último número da National Geographic edição portuguesa de que é director o meu amigo Gonçalo Pereira Rosa sai um artigo por ele assinado sobre o Cromeleque dos Almendres muito interessante.

De resto, o Gonçalo que também é jornalista, pesquisador, e professor universitário na Católica, já me fez duas entrevistas (???) e h+a o último artigo (31 de Março) que publiquei na Travessa é sobre ele.

Muitos qjs deste teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão