Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

19 março 2018

Conversões Forçadas na Coreia do Sul


Há uma realidade, na Coreia do Sul, desconhecida pela comunidade internacional, e para a qual a ONG HAC (Human Rights Association for Coercive Conversion) tenta chamar a atenção.

Trinta por cento da população coreana é cristã, mas são várias as confissões do cristianismo professadas, entre o catolicismo e o protestantismo. Segundo a HAC, existe uma verdadeira «guerra entre igrejas» (com dinheiro à mistura, claro) e há pessoas, normalmente, jovens, a serem convertidas sob enorme pressão e maus-tratos.

Baseada no caso de uma coreana de 25 anos, que acabou por morrer vítima da pressão e dos maus-tratos exercidos pelos próprios pais, instigados por um dos pastores especializados nas conversões forçadas, a HAC tem vindo a organizar manifestações em vários países. A 17 de Fevereiro passado, houve uma manifestação em Berlim, na qual participou Alfredo Estevão, lá residente, e que me fez chegar este vídeo, com pedido de divulgação. E eu achei por bem divulgar. Pelos Direitos Humanos!



2 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Minha querida Cristinhamiga

Forçar o que que quer que seja a quem quer que seja para mim é sempre um crime!

Mas,



Hoje venho dar uma triste informação. Faz hoje oito dias faleceu o meu irmão Braz vitima de um cancro na próstata, ao fim de um longo penar de quase um ano que começou no Médio Oriente onde vivia e trabalhava e terminou aqui na Lourinhã na Casa de Santa de Santa Bárbara de Conforto e Acompanhamento.

O meu irmão era Consultor de Cimenteiras no domínio do Pessoal e chegou a estar entre os dez melhores do Mundo. Deve ter ganhado balúrdios (não sei quantos, nunca lhe perguntei, cada um trata do seu) mas, infelizmente estava sem cheta, pois gastou-os só com mulheres, dado que teve creio que doze ou treze… Dois com quem casou, dez ou onze com que viveu. Chegou a ser bígamo…

Por decisão da Raquel mandámo-lo vir do Dubai onde estava só – com o cancro. A última mulher era filipina e tinha ido a Manila tratar de coisas dela. Ficou em nossa casa, depois foi para o Hospital de Santa Maria e finalmente para a Casa de Santa Bárbara. Além de trazer 29 euros e 57 cêntimos tinha o passaporte a meio ano de caducar e relatórios médicos diversos e mais nada.

Quem tratou de tudo, cartão de cidadão, passaporte novo, certidões, etc. foram a Raquel e o meu primogénito Miguel que para acrescentar e agravar a situação, sendo economista de mérito comprovado e atestado está desempregado. Eu dada a incapacidade física mal consigo andar fiquei em casa, agora voltei a andar melhor mas sempre com bengala.

E é tudo, e chega.




https://anossatravessa.blogspot.pt

Cristina Torrão disse...

Incrível, o que me conta, amigo Henrique!

Paz à alma do seu irmão.

Quanto a si, espero que continue a recuperar. Desejo-lhe tudo de bom, assim como à sua família!