Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

14 agosto 2011

Somos um livro

Manuel de Sousa publicou este bonito texto:

Somos um livro de histórias com uma duração invariável, que depende dos anos da nossa vida e das peripécias que a constituem.
No livro da vida há acção, romance, mistério, investigação, drama, tudo em formato de poesia e de prosa.
Somos o reflexo dos livros que lemos e que gostamos e as nossas acções assemelham-se aos livros, por mais impossíveis e imprevisíveis que possam ser.
A vida é recheada de páginas e de cores, dependentes das nossas tendências e frustrações e de histórias ou contos que não são contados até ao fim.
Somos vítimas de um enredo, em que, de leitores, passamos a personagens principais ou figurantes. A nossa vida pode tornar-se num livro descritivo ou simplesmente sintético em que pouco há para contar.
Os livros não mentem sobre aquilo que somos. Da próxima vez que leres um livro e disseres que gostaste muito, lembra-te que ele é o espelho do teu ser.

M. Brunner

2 comentários:

M. Sousa disse...

Obrigado,

Espero que leiam e gostem. Espero um dia escrever o meu livro.
Manuel de Sousa

Bartolomeu disse...

O Elvis, no seu "Sentes-te solitária esta noite", diz à sua amada: Sabes; «alguém disse que o mundo é um palco onde cada um tem de representar o seu papel»
http://www.youtube.com/watch?v=QrojFR7jM9E