Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

14 maio 2015

Na terça-feira passada, em Bragança


Passei umas horas muito agradáveis na Biblioteca do Agrupamento de Escolas Abade de Baçal, na passada terça-feira, 12 de maio. A organização foi um primor, os alunos interessados puseram questões oportunas, os professores presentes estavam bem preparados para a minha visita e empenhados em manter o ritmo da conversa (plenamente conseguido).


E foi tão bom falar de D. Afonso Henriques, de D. Dinis e dos primeiros portugueses da História, a gente do século XII, que se viu envolvida na fundação de uma nação. Porque toda essa gente fez História. Como diz o Professor José Mattoso: «O passado dos homens não foi só a sua vida pública. Foi também o jogo ou a luta de cada dia e aquilo em que eles acreditaram».




Muito obrigada a todas as pessoas que me proporcionaram manhã tão agradável!
Destaco a Diretora do Agrupamento das Escolas Abade de Baçal, Teresa Sá Pires; a Coordenadora das bibliotecas do Agrupamento e professora bibliotecária da escola Básica Augusto Moreno, Elisa Ramos; e um obrigada muito especial ao professor bibliotecário da Escola Secundária Abade de Baçal, António da Palma Ferreira.




"Last but not the least", agradeço aos alunos, que me fizeram acreditar nos jovens de hoje, apesar de tudo o que é dito e do que circula nas redes sociais. Vocês foram impecáveis!!! 

2 comentários:

Bartolomeu disse...

Estou certo que ouvir-te falar acerca da nossa História é algo que não deixa ninguém, mais ou menos jóvem, indiferente ou desinteressado. Bragança ganhou e todos os que tiveram o privilégio de te ouvir, de te colocar questões, dúvidas ou até as suas próprias conclusões, terão enriquecido com esta experiência, assim como tu. Prabéns Cristina!

Cristina Torrão disse...

Muito obrigada, Bartolomeu, meu amigo :)