Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

10 fevereiro 2013

Quando (quase) ninguém nos entende

"Olha prò filho da puta! Viste as mamas da gaja? Dás um empurrão ao velhote e ele espalha-se. Tanto pretinho, pá! Eu a julgar que estava na Holanda."

Não somos todos assim. Mas há portugueses que, vendo-se no estrangeiro, desatam a dizer disparates, fiados que ninguém os entende. Nunca se fiem! É que há mesmo portugueses em todo o lado (neste caso, o escritor José Rentes de Carvalho).

Também me aconteceu uma vez, no S-Bahn de Hamburgo (uma espécie de Metro de superfície), ouvir um casalinho português. Diziam tanto disparate, que eu fingi... ser alemã. E nem me descosi quando eles se meteram com um ursinho que eu, naqueles tempos, trazia pendurado na carteira a tiracolo. Acho que o confundiram com um cãozinho, pois começaram a ladrar em português.


6 comentários:

Carla M. Soares disse...

Sabes o que é engraçado também? Quando os estrangeiros (sobretudo ingleses) por cá andam a dizer os mesmo disparates, convictos de que o portuguesinho não os entende, esquecidos que a maior parte de nós tem inglês sucifiente na escola e na TV para entender o essencial. Que valentes disparates dizem!! :D

Imperatriz Sissi disse...

Isso é um convite à gaffe. E faltinha de educação. Certa vez estava em Albufeira, e na altura usava o cabelo mais claro, o que com os meus genes me dava um ar estrangeirado. Um grupo de rapazotes vira-se para mim "olha-me para aaquela bifa, f.d.p, ai c*****" quando lhes dei um sermão em português ficaram para morrer. Nunca ouviram "em Roma, sê romano". Enfim...beijinho

Cristina Torrão disse...

Realmente, é uma grande falta de cuidado dos ingleses, Carla. Afinal, em qualquer parte do mundo, se entende e se fala inglês. Mas muitos ingleses não primam pela inteligência, não...

Foi a reação certa, Sissi :)

André Nuno disse...

Cristina,
"ladrar em português" é bom.
:)
Quanto ao resto... está tudo (bem) dito.
Cumps.

Cristina Torrão disse...

Os cães ladram todos da mesma maneira. As pessoas, quando os querem imitar, fazem-no realmente de maneira diferente, conforme a sua língua ;)

Daniel Santos disse...

gostei do ladrar em português.