Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

30 janeiro 2012

Pré-publicação #1

Decidir a própria morte era um dos pecados mais terríveis, retirava o direito a funeral e a uma campa na terra sagrada do cemitério. Mas a ideia de solução extrema, quando o desespero se tornava insuportável, aliviava-a e ela acabou por adormecer.
Sonhou que se atirava ao Arda, via-se a deixar este mundo, entrando noutro, que a deixava imune ao sofrimento…
Acordou, de repente, sem saber se tinha dormido horas, ou apenas passado pelo sono. E o desassossego regressou com tal intensidade, que não conseguiu permanecer deitada. Como se uma força misteriosa a dominasse, fazendo-a perder a influência sobre os seus movimentos, saiu de casa, envolta apenas na sua camisa de dormir, descalça e de cabelo pelas costas. Pôs-se a caminho do rio, descendo a encosta íngreme, por entre os castanheiros e os carvalhos.
Estava um dia lindo de Primavera, os fenos despontavam num verde ainda tenro. Mas ela caminhava sem se dar conta do brilho do sol e do chilrear dos pássaros. Movia-se alheia a tudo, como se vivesse num outro mundo, em direcção a um dos raros bancos de areia, no curso do Arda, onde ela e as irmãs costumavam ir lavar roupa.
Lá chegada, dirigiu-se à água, sem se dar ao trabalho de levantar a camisa, que lhe chegava aos pés.

20 comentários:

Daniel Santos disse...

olha que bem.

Cristina Torrão disse...

Obrigada :)

Carla M. Soares disse...

Hum, mas que bonito. Pré-publicação de...?

Olinda Melo disse...

Gostei! :)

Aguardo ansiosamente a continuação...

Bj

Olinda

Cristina Torrão disse...

Carla, trata-se do livro que ando a escrever desde Outubro e que ainda não sei quando será publicado. Na melhor das hipóteses, no fim deste ano.
Hesitei muito, antes de tomar esta decisão, mas resolvi publicar pequenos extractos, que, no entanto, pouco dirão sobre o enredo e evitarei revelar nomes de personagens. A única coisa que posso dizer é que também é um romance histórico medieval ;)

Olinda, obrigada :)

Iceman disse...

Gostei!

Bartolomeu disse...

Então temos outro sucesso literário em germinação, Cristina?!
Pela pequena amostra que nos ofereces, percebe-se que a história é intensa e o cebnário onde decorre, é edílico.
O rio Arda, um afluente do Douro, possui paisagens maravilhosas capazes de emprestar algum brilho àquele que consegues irradiar nas tuas escritas.
Esperemos então, ansiosamente pelo surgimento desse romance que promete.
Ah! E já agora, deixo uma sugestão; podias fazer o lançamento do livro em Castelo de Paiva, local onde o Arda, desagua no Douro.
Até já estou a imaginar a cena... tu, sentada à sombra de uma frondosa árvore, rodeada de amigos e leitores, dando autógrafos e oferecendo dedicatórias aos teus fãs e eu... junto ao grelhador a assar a bela fêbra para em seguida fazermos todos um mega-pic-nic.
Hmmmm?
Ai não! A primeira edição esgota logo no primeiro dia. É certinho e direitinho!
;)

Cristina Torrão disse...

Caro Bartolomeu, depois do teu comentário, não resisto a revelar que este romance é também uma homenagem à minha terra natal: Castelo de Paiva ;)
Só lá vivi os primeiros quatro anos de vida, mas não deixa de ser a terra que me viu nascer.

Sucessos literários? Simpatia tua, Bartolomeu...

Bartolomeu disse...

A minha opinião pode até ser contrária às restantes, mas, para mim, o sucesso literário mede-se pelo prazer que os leitores sentem, ao ler.
E se o meu testemunho servir de medidor... declaro-te uma escritora de imenso sucesso!

fallorca disse...

Ia perguntar o que já respondeste sobre «pré». Boa sorte :)

Rita disse...

Este excerto é muito belo!

Continuação de boa escrita!

Cristina Torrão disse...

Bartolomeu, nem tenho palavras :)

Muito obrigada também ao fallorca e à Rita. E ao Iceman, lá em cima :)

Joaquim Soares de Sousa disse...

Viva, Cristina!

É lindo, o texto apresentado!
Ficamos expectantes na sua continuação.
Será mais um romance do período medieval? Parece, pelo mistério... Ou será outra época?

Saudações
Joaquim Soares de Sousa

Joao Raposo disse...

Faço minhas as palavras de Bartolomeu "A minha opinião pode até ser contrária às restantes, mas, para mim, o sucesso literário mede-se pelo prazer que os leitores sentem, ao ler."
O resto é sucesso comercial.
Fico à espera do resto.

Cristina Torrão disse...

Para o Joaquim: sim, é um romance medieval. A personagem principal, porém, não é histórica, quero dar uma imagem da vida de pessoas comuns, mas inseridas em acontecimentos importantes do nosso século XII.

Chamo, já agora, a atenção para o facto de que, a fim de manter um certo segredo sobre um livro que ainda nem sei quando será publicado, os excertos não revelarão muito do enredo, nem nomes de personagens. Quase se limitarão a pensamentos da personagem principal e não serão necessariamente publicados pela ordem com que aparecem no romance.

Bartolomeu disse...

Se bem entendo, estes excertos que nos irás apresentando, vão "funcionar" a um nível semelhante - relativamente ao romance - ao das empresas que possuem contabilidade paralela...
é isso Cristina?
;)))

Cristina Torrão disse...

Algo me escapa, Bartolomeu, tens de me explicar melhor isso da contabilidade paralela.

Bartolomeu disse...

Trata-se de uma metáfora, Cristina.
Como escreveste no comentário anterior, que os excertos que publicas não revelarão o enredo, lembrei-me da contabilidade paralela que algumas empresas praticam, com a finalidade de fugir ao fisco.
Ou seja... é mais um trocadilho que própriamente uma metáfora...
;))

Cristina Torrão disse...

Sim, eu já me tinha apercebido de algo desse género, mas não sabia o quê.
Digamos que há segredos que vale a pena guardar e, ao contrário de outros, não prejudicam ninguém ;)

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ viagra generique
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra