Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

09 dezembro 2014

Excerto (6)



«As gentes miúdas, essas, já se habituaram às regulares desavenças entre os dois reinos. Choram a destruição e a míngua nas colheitas, sofrem com o fogo botado nas casas, adoecem e morrem com a água envenenada nos poços, perdem os filhos, resignam-se pelas raparigas desonradas e tomadas à força pelos invasores. Nesta terra, constantemente martirizada pelas disputas dos grandes senhores, o povo aprendeu a resistir. Tudo se aguenta, desde que haja um naco de pão negro para enganar o bandulho».

In "A Esmeralda do Rei", Paulo Pimentel (Edições Mahatma) 


Sem comentários: