Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

17 junho 2011

Visita a Toledo





























- Estás a ver? - dizia Branca, esticando o braço através da janela, em direcção ao rio. - Foi por aquela ponte que viemos.

            - Eu sei - replicou o pequeno Dinis. - Lembro-me bem das duas torres. Mas diz-me: achas mesmo que este é o nosso Tejo?
            Branca riu-se, mostrando os grandes incisivos que cresciam na falha provocada pela queda dos dentes de leite:
            - Que pergunta! Claro que é o mesmo.
            - Mas o nosso Tejo lá em Lisboa é tão largo… - Dinis, que tinha apenas cinco anos, saltou do banco em que os dois irmãos se tinham encarrapitado para chegarem à janela, e abrindo os braços, bradou: - É largo, muito mais largo do que…
            - Mas que é isso Dinis? - lançou a mãe severa. - Já te disse que falasses baixo. E um príncipe não faz desses gestos exagerados. Anda, senta-te ao pé de mim! Tu também, Branca!
            As duas crianças obedeceram, embora Dinis achasse injusto que a mãe não repreendesse o irmão mais novo, Afonso, que insistia em contar em voz alta as oito velas que se encontravam no candelabro de ferro de pé alto. Afonso nem sabia contar!




 

8 comentários:

fallorca disse...

:)

antonio ganhão - o implume disse...

Os espanhóis sempre quiseram ficar com o que é nosso...

fallorca disse...

Ou nós (salvo seja) sempre quisemos ficar com o que também era deles e integrávamos?

Evanir disse...

Encontrei seu blog no meu amigo de POrtugal vim conhecer você já estou lhe seguindo convido a conhecer e seguir o meu .
Um feliz final de semana beijos no coração,Evanir.

Cristina Torrão disse...

Fico contente que te tenha agradado, fallorca :)

fallorca disse...

Sabias que agradava :)

Dylan disse...

Um dia, essa Toledo não me escapa...

Cristina Torrão disse...

Vale a pena, Dylan, embora seja muito turística. Mas é uma atmosfera especial. Espero que goste de andar a pé. Apesar das ruas íngremes, é essa a melhor maneira de apreciar a cidade medieval. E leve dinheiro, uma pessoa perde-se. Também os comes e bebes são caros.

Haverá aqui mais posts sobre Toledo ;)