Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

18 janeiro 2014

Moeda de ouro portuguesa do século XVI encontrada em Stade, Alemanha


Este achado, que os peritos calcularam ter cerca de 450 anos, é descrito como um dos mais espetaculares dos últimos tempos, na cidade alemã de Stade.

Com os seus 45 000 habitantes, Stade é, no cenário alemão, uma cidade pequena, ensombrada pela grandeza de Hamburgo, a cerca de 50 km de distância. Quando foi criada, no século X, porém, Hamburgo ainda não existia e Stade foi, durante toda a época medieval, bem mais importante do que aquela onde, hoje, se situa um dos maiores portos do mundo.

Situada nas margens do rio Schwinge, muito próximo do local onde este desagua no Elba, Stade foi uma cidade hanseática, o que se traduzia numa grande atividade mercantil com as zonas do Mar do Norte e do Mar Báltico. Por isso, a importância deste achado: os arqueólogos surpreenderam-se ao constatar que as ligações comerciais de Stade se estendiam até Portugal! E penso que será de interesse também para o nosso país.


Desde o Outono que se verifica grande atividade arqueológica, na cidade-natal do meu marido e onde vivemos há quase quinze anos (antes disso, vivíamos em Hamburgo). Uma ponte situada no centro histórico necessitou de reparações. Procedeu-se à secagem do rio Schwinge nesse local, onde se situava o porto, o que não foi difícil, pois com o tempo e o crescimento da cidade, o rio tornou-se muito estreito e raso. Basta um paredão de sacos de areia para evitar que a zona torne a alagar.


Todos sabemos que a lama e o lodo existente no fundo do leito dos rios são excelentes meios de conservação. Por isso, os arqueólogos esfregaram as mãos de contentamento. As obras de reparação da ponte foram adiadas até terem explorado todo aquele local. Os trabalhos têm sido tão frutíferos (cerca de 300 000 achados, até agora!) e ainda há tanta lama e lodo para analisar, que as obras foram de novo adiadas por mais seis meses. Assim é que é, a cultura à frente!


A importância da moeda de ouro portuguesa é indiscutível, mas os arqueólogos exultam com qualquer tipo de objeto, como uma simples colher, que tanto pode dizer sobre o modo de vida de outros tempos.


Muito dos achados serão expostos num dos museus da cidade, ali mesmo perto daquela zona. E eu hei de ir lá ver a moeda portuguesa!


5 comentários:

Bartolomeu disse...

Acho que aquela moeda fui eu que a perdi, uma altura em que fui negociar eletrodomésticos com os habitantes de Stade. Se não me engano, decorria o ano de 1564, mais coisa, menos coisa. Acho que vou aí reclama-la... ou então, passo-te uma procuração para o fazeres, que me dizes, Cristina?
;)

Cristina Torrão disse...

:D

O melhor é esperarmos, pode ser que encontrem mais ;)

Bartolomeu disse...

Se notares algo nesse sentido, constituímos imediatamente uma sociedade, tu passas a chamar-te Blimunda, para usares aqueles poderes de visão e eu... bem, eu não posso ser o Sete-Sois, porque és uma Senhora casada, mas posso ser o Cristóvão Colombo, que foi um comerciante dos Sete-Mares-
;)))

Juvenal disse...


O achamento dessa moeda reflete a diáspora portuguesa ao nível da economia.No séc. XVI Portugal teve intensas relações comerciais com as várias cidades da liga hanseática, orientadas a partir da Feitoria Portuguesa de Antuérpia.
Seria interessante conhecer mais detalhes acerca da moeda em si.

Juvenal Nunes

Cristina Torrão disse...

Obrigada pela informação, Juvenal, muito interessante. Não tinha conhecimento, na verdade, pouco sei da nossa História dessa altura.

Vamos ver se descubro mais alguma coisa. Como disse, tenciono ir ao museu, onde ela será exposta.