Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

29 fevereiro 2012

Naquele Tempo (3)

Ou: Aspectos menos conhecidos da Idade Média


«O casamento só foi considerado um sacramento e, por isso, indissolúvel, depois do século XI; tardou séculos a generalizar-se como cerimónia litúrgica imposta a todos os fiéis.
(...)
O casamento de facto e o casamento privado (ou casamento "de juras") eram considerados legítimos, praticaram-se sem oposição da Igreja até ao concílio de Trento (realizado no século XVI), e continuaram a ser a forma mais corrente de união matrimonial entre as classe populares até à mesma época.
(...)
A moral clerical sempre foi severa para com o adultério, mas era razoavelmente tolerante para com as relações conjugais entre pessoas livres.»
(Páginas 20/21, A moral clerical e a sua evolução)